07 abril 2009

Crônicas de Vilser - A Amélia


AMÉLIA

Talvez seja influência das comédias românticas. Talvez seja uma necessidade incutida em todo ser humano. Não cabe a minha pessoa julgar porque uma pessoa decide uma coisa e outra, uma diferente, mas sei que não são poucos os gays que estão em busca de um amor para toda a vida.
A maioria do discurso dos meus amigos é como aquele velho anúncio de “classificados gays”: “busco um cara másculo, fora do meio, discreto”, e muitos nem disfarçam que preferem que esse mesmo cara tenha corpo definido, seja inteligente, com vida financeira estável e, bem, que ter a cara do Henri Castelli também parece ser requisito básico.


Oi?

Nem vou mencionar que quem procura por isso já deve ter percebido que não tem um Henri Castelli gay, másculo e carente em cada esquina...
Mas, o que venho aqui dizer hoje é que um amigo meu conseguiu! Não o Henry Castelli, mas um cara bem parecido...
E para a maioria dos invejosos saber, devo lembrar que esse meu amigo que conquistou o tal galã era viadinho, delicadinho, bichinha "poc-poc" e todos os outros adjetivos que sua mente pervertida possa ter lembrado agora (e não quero nem colocar em questão se não foi você mesmo que inventou na vida alguns desses adjetivos só para destruir com um amigo seu...).

Há alguns anos atrás, eu conversava muito com Gilson, mais um de meus amigos gays delicados. Conversávamos muito, até que ele conheceu Beto, um Henri Castelli-cover-gay-macho-fora-do-meio-etc.
Na primeira vez que o vi, fiquei impressionado.
Beto era realmente um cara de presença. “Cara de presença” traduzindo para o português, é quando um hetero quer ser discreto em se referir à beleza de outro homem, ou mesmo não quer dizer claramente que achou um outro homem gostoso e que mesmos endo hetero quer dar pra ele imediatamente.

Entretanto (eu já disse que gosto muito de usar essa palavra?), depois de conhecer Beto, Gilson, aos poucos, começou a aparecer cada vez menos, até que num belo dia, desapareceu.
“Coisa de gente apaixonada...” – pensei eu. Ou talvez fosse mesmo medo da inveja alheia, afinal, como eu disse, um tipo como o Beto é desejado por uma variedade imensurável de gays...

Assim, um bom tempo se passou.
Certo dia, por pura e simples coincidência, encontro Gilson, serelepe, saltitante, nos corredores de um shopping.

- Gilson, é você mesmo? – perguntei.
- Vilser, nossa, que saudades! Como você está? Sumiu, hein?

- Eu que sumi? Você que desapareceu depois de começar a namorar o tal Beto...
- Ah é... o Beto... (o semblante de Gilson fica automaticamente triste).

Claro que foi impossível não perguntar a Gilson o que ocorrera. Ele me disse que Beto era lindo, másculo, pintudo e muito bom de cama, e que na época em que sumiu, Beto pediu para que Gilson passasse a morar com ele.
Lindo não?

Mas antes de babar de inveja, não se esqueçam... Ninguém é perfeito...

Assim que passaram a morar juntos, Beto passou a exigir algumas coisas de Gilson:

Que Gilson cortasse a relação com todos os amigos que tinha - até aqui nenhuma novidade, pode ser meio ciumento, mas é romântico até...
Beto quis também que Gilson não trabalhasse mais e vivesse em casa - aqui alguns leitores suspiram e correm para pegar uma faca, decididos a cortar os pulsos de inveja.
E claro, Beto quis que Gilson cuidasse apenas da casa, de suas roupas - alguns leitores já devem estar desconfiando da situação, eu sei que ainda tem muitos outros que estão amolando a faca do suicídio ainda.

E como toda relação evolui, é óbvio que, depois de algum tempo, Beto dava umas cacetadas em Gilson pra mostrar quem era o marido da casa.

Pra quem gosta de machão... tava aí um prato perfeito, não?

E acreditem, ainda ouvi comentários de invejosas: “Quisera eu ter um homem lindo desses me batendo todo dia”.
Mas após colecionar alguns hematomas, e fichas no hospital de “acidente doméstico”, Gilson criou coragem e fugiu de casa. Até hoje não tem endereço fixo... Mas está bem.

Por isso, àqueles que tem amor a cútis repleta de cremes europeus, muito cuidado com o que desejas... O sonho pode se realizar, mas virar pesadelo.

Assim, comecei a campanha: “Prefiro um feinho me lambendo os pés do que um lindão que me cacete.”
Mas ninguém assinou meu abaixo assinado... Por que será?
Ah tá, porque Beto deve ter uma centena de milhares de irmãos gêmeos bonzinhos escondidos em algum canto, não é mesmo?

Bem, aos amigos masoquistas, aviso, eu não tenho o celular do Beto. Até porque, se eu pedisse, era bem capaz dele querer que eu o engolisse.

12 comentários:

Lipe disse...

Confesso que eu estava co inveja no co eço da historia, mas a partir das 'exigencias' já vi

Lipe disse...

(post cortado) ... que não ia bem.
Eu assinaria a campanha, heheheh.

Editor disse...

Nesta situação, só pude me lembrar de uma coisa: antes só do que mal acompanhado... De que adiante viver um momento de felicidade e outros de agonia? Beijos, Vilser!

Fabiano (LicoSp) disse...

Onde eu assino sua petição? rs
Será q soh eu qro encontrar algo totalmente diferente deste perfil... mantendo só o bonito e pintudo pq isso é primordial... rs

Bjs do Lico

Fabiano (LicoSp) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jan disse...

Concordo com o Lipe, tbm assinaria a campanha. Desde quando surgiram as exigências a histíria ficou estranha, algo estava errado.
Estou adorando as crônicas.

Bjs

Fabiano (LicoSp) disse...

Qrido... tem um selinho pro c no meu blog.

bjs do Lico

FOXX disse...

primeiro: nelson ou gilson?
kkkkkkkkkkk


adorei a parte das facas

Infinito Azul disse...

Caramba!!
Impressionante esses fatos de relacionamentos.
Cada um sabe a dor e a delícia de ser...
Mas é cada um que parece até dois.
Podia ter contratado uma faxineira e comprado
um boneco

Anônimo disse...

Morar não é legal, um namoro é legal, mais cada um no seu quadrado se não vai acabar durando muito não.

Voyeur disse...

Eita, primeiro q nao ha no mundo quem me faça escolher entre meus amigos e meu amante!!! Se ele pedir isso, nem termina de falar, é rua!!! kkkkkkkkkkk
mas é triste saber que tem gente q acha q ainda ta no sec XV...
abraços

LOLmeme disse...

eu acho que um dia a pessoa pode achar uma outra por quem ela se apaixone, idepedente dela ser bonita. Só amor e nada mais.